domingo, 27 de junho de 2010

Porque você vive feliz?


Ela era a garota mais feliz que eu já havia conhecido. Sua felicidade era imensa que me causava náuseas. Adorava implicá-la, porém ela nunca se deixava derrubar. Sua pele era clara, pálida como um papel. Era magra, e possuía profundas olheiras, e ela não tratava de esconder, ou disfarçar. Ela era feliz, como ela era, do jeito que ela era. Ora! Como uma garota poderia ser feliz, daquele jeito? Aquilo me irritava.

Eu: Porque você é sempre tão feliz?
Ela: Sou feliz porque tenho a oportunidade de viver, e não vou viver amargurada, como você está vivendo.
Eu: Eu busco motivos, mê de um motivo de estar tão feliz? Ou melhor, me dê um motivo de estar feliz sempre. Isto é, se for capaz.
Ela: Tenho vários motivos. Eu posso respirar sem a ajuda de aparelhos, eu posso andar. Eu posso enxergar e falar. Eu posso viver. Eu tenho meus pais ao meu lado, e eu tenho amigos. Eu tenho Deus. Isto são motivos de felicidade. Agora você, me dê um motivo de viver amargurado?
Eu: Porque você repete tanto o verbo viver?
Ela: Porque viver é tudo o que eu posso neste momento... Você nunca entenderia. Mas ande, me dê seu motivo de viver amargurado.
Eu: Odeio o mundo. Meu pai está desempregado, minha mãe vive reclamando. Meu irmão é um atentado e isso são motivos suficientes para mim detestar viver. Porque eu não entenderia?
Ela: Você tem tudo, você tem tudo o que eu mais queria, e detesta viver... Seu pai, buscando vai conseguir um emprego. Sua mãe, deveria compreender a situação. Seu irmão é apenas uma criança, e isso o que você está vivendo não são motivos para você detestar viver.
Eu: O que você mais queria? Porque não são motivos?
Ela: Queria saúde, o que você e sua família tem de sobra, mas não a valorizam. Não são motivos. Eu tenho motivos para detestar a vida, mas sou feliz.
Eu: Ah, é mesmo? Saúde, grande bosta. Para que ter saúde se não temos dinheiro nem para o café? Você tem tudo garota, se toca. Ainda não entendi porque preza tanto viver.
Ela: Deveria agradecer pela saúde que possui. Poderia não ter nem saúde e nem o dinheiro para o café. Dinheiro não é tudo na vida, rapaz. Eu tenho leucemia, e há três anos não reajo mais aos tratamentos. Estou apenas esperando meu dia chegar, e a única coisa que me resta, é viver. Agora compreende?
Eu: Nunca pensei por este lado... Mas dinheiro vale sim! É, sinto muito...
Ela: Não precisa sentir nada além do tempo que está perdendo. - Sorriu - Vá até sua casa, passe para sua família uma lição de amor, diga que os ama. Isso vai melhorar o dia deles e dar força para continuarem. Valorize sua vida, e agradeça à Deus pela sua saúde. Se você algúm dia não estiver tão sadio, agradeça pelo tempo que teve sua saúde, e sua vida.

Fiz o que a garota me aconselhou. Hoje gostaria de fazer algumas perguntas à ela. Gostaria de perguntar, o porque de depois daquele dia os olhos fundos da menina não sairam de minha mente, e porque eu passei à admirar tanto a força e determinação da mesma. Gostaria de saber, como seu sorriso havia ficado em meus olhos, e como ela conseguia me causar a vontade de ser melhor a cada dia. Mas agora, não posso lhe perguntar mais nada, pois infelizmente, ela não está mais aqui entre nós. Annelize morreu, e não está mais aqui para ajudar-me.

4 comentários:

  1. como assim ela morreu? Fiquei triste agora...........

    ResponderExcluir
  2. Eta, triste!
    Tem gente que é mal agradecido da vida mesmo, nada que um bom tombo não resolva! Ou uma lição dessas, claro.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que chocante. Perfeita. *-*

    ResponderExcluir